Shadow

Luxação de patela em cães: o que é e quais seus tipos

Todo tutor adora ver seu pet feliz e saudável, se divertindo, brincando e correndo. Por isso, quando notamos que há algo de errado com a saúde de nosso filho de quatro patas, é comum ficar preocupado! Entre os problemas mais comuns entre os cachorros está a luxação de patela.

Este problema, além de causar dor ao pet, atrapalha a locomoção e, se não for tratada de maneira correta, pode até impedir certos movimentos! Vamos saber mais sobre a luxação de patela em cães, quais são suas origens, características e tratamentos?

Luxação de patela: o que é?

O nome é um pouco complicado, mas o problema é bem simples de entender: a luxação de patela é o deslocamento de um osso do joelho, também chamado de rótula. Por isso, o pet aparenta tanto incômodo quando é diagnosticado com luxação patelar.

Esse deslocamento pode ocorrer para a parte externa da perna (lateral), ou para a parte interna (medial). Ambos os casos podem causar dor ao cachorro e predispor a outras complicações, e necessitam atenção veterinária o mais breve possível!

Causas e origens

A luxação de patela em cães pode ter diferentes origens. Na maioria das vezes, é uma questão congênita: o cachorro já nasce predisposto ao problema, e apresenta sintomas após certa idade.

Também pode ocorrer por batidas, quedas ou outros traumas. É mais comum em cachorros de pequeno porte, mas pode atingir qualquer pet. Entre as raças mais propensas a desenvolver luxação de patela estão:

  • Pug
  • Chihuahua
  • Dachshund
  • Pequinês
  • Poodle
  • Lhasa-Apso

Ah! Vale destacar que cachorros maiores também podem apresentar a doença, principalmente quando estão mais velhos e mais frágeis.

Tipos de luxação de patela

A luxação de patela em cães é classificada em 4 graus diferentes, de acordo com a gravidade do problema:

Grau 1

O veterinário consegue deslocar a paleta do lugar e ela volta automaticamente para o local correto. Geralmente, o problema se encerra aí, sem maiores dores para o cachorro.

Grau 2

Neste caso, a paleta fica saindo e voltando para o lugar correto. Geralmente, o cachorro manca com frequência. Apesar de a rótula voltar para o seu lugar, é recomendado cirurgia para evitar dores e maiores problemas.

Grau 3

Neste caso, a patela sai do lugar de maneira permanente, e é necessário o auxílio de um veterinário para colocá-la no local correto. Às vezes, o cachorro também tenta alinhar a rótula, fazendo movimentos com a pata.

Grau 4

Luxação mais grave, no grau 4 a patela sai se desloca de maneira permanente, e nem mesmo com a manipulação do veterinário é possível voltá-la ao local correto. Somente com cirurgia de patela em cachorro é possível amenizar o problema.

Principais sintomas da luxação patelar

Apesar de poder ser grave e dolorida, a luxação de patela em cães não costuma apresentar sinais externos. E, assim como a maioria das doenças, quanto antes for diagnosticada, melhor será seu tratamento. Por isso, atenção a seus principais sintomas! Se notar que seu pet:

  • Está mancando;
  • Evita se apoiar em uma das pernas;
  • Ao caminhar, estica uma das pernas de maneira repetitiva;
  • Tem dificuldade em pular,
  • Parece estar com dores.

Principalmente quando se trata de uma luxação de grau mais avançado, também é comum que o cachorro fique mais quietinho e abatido por conta da dor. Nesse sentido, muitos podem, inclusive, choramingar ao fazer certos movimentos.

Em todos os casos, é necessário uma visita imediata a um especialista para verificar se ele está sofrendo com luxação da patela.

Tratamento e prevenção

Além de ser um problema grave, que causa muita dor aos nossos amigos de quatro patas, a luxação patelar é muito difícil de se prevenir. Caso seja congênita, provavelmente aparecerá em algum momento da vida do pet. O melhor é identificar o problema o quanto antes para evitar maiores complicações.

fonte: https://www.petz.com.br/blog/pets/caes/luxacao-de-patela-em-caes-o-que-e-e-quais-seus-tipos/