Shadow

Lista de passaportes mais poderosa do mundo é impactada pela guerra na Ucrânia

Enquanto alguns países baniram a Rússia, outros alteraram suas políticas de entrada ou eliminaram completamente os requisitos de visto para portadores de passaporte ucraniano

O fechamento do espaço aéreo devido à invasão da Rússia na Ucrânia e a abertura de fronteiras para refugiados ucranianos começaram a exercer influência nas liberdades globais de viagem, de acordo com os dados mais recentes coletados sobre os passaportes mais amigáveis ​​do mundo.

Embora tenha havido poucas mudanças no topo de uma lista de países com os chamados passaportes poderosos – ou seja, aqueles com mais opções de viagens sem visto em todo o mundo -, o recente conflito está começando a abalar as coisas, segundo informou o índice compilado pela Henley & Partners, empresa de consultoria de residência e cidadania global com sede em Londres.

Desde o início da guerra no final de fevereiro, muitos países alteraram suas políticas de entrada ou eliminaram completamente os requisitos de visto para portadores de passaporte ucraniano, o que significa que a Ucrânia atingiu um recorde no relatório.

Enquanto isso, a União Europeia, os Estados Unidos e o Canadá baniram todos os operadores russos de seu espaço aéreo, enquanto alguns destinos não estão mais emitindo vistos para cidadãos russos, “condenando efetivamente o passaporte russo ao status de lixo em grande parte do mundo desenvolvido”, diz um relatório por Henley & Partners.

Embora isso ainda não tenha impactado drasticamente a posição da Rússia na lista, o relatório sugere que isso provavelmente mudará nos próximos meses.

O relatório da empresa, baseado em dados exclusivos fornecidos pela International Air Transport Association (IATA), monitora regularmente os passaportes mais amigáveis ​​do mundo desde 2006.

Na lista do segundo trimestre de 2022, a Ucrânia subiu um lugar e agora está em 34º no índice e seus cidadãos agora podem viajar para 192 destinos sem visto (ou visto na chegada). A Rússia caiu quatro lugares para 49º, com uma pontuação de 117 – uma posição que deve piorar à medida que as suspensões de vistos e sanções forem formalizadas.

O último abalo indica claramente “o impacto profundo e talvez irreversível da guerra na liberdade de circulação”, segundo o relatório.

O topo do índice permanece o mesmo de antes, com Japão e Cingapura compartilhando o primeiro lugar. Os titulares desses passaportes podem viajar para 192 destinos sem visto em teoria, mas vale ressaltar que isso não leva em consideração restrições temporárias.

Os cidadãos afegãos estão novamente na parte inferior do índice e podem acessar apenas 26 países sem precisar de visto com antecedência.

Europa domina novamente

Mais abaixo no top 10, a Coreia do Sul ainda está empatada com a Alemanha em segundo lugar, com uma pontuação de 190, e Finlândia, Itália, Luxemburgo e Espanha estão todos juntos em terceiro lugar, com uma pontuação de 189.

Enquanto Áustria, Dinamarca, Holanda e Suécia dividem o quarto lugar, com uma pontuação de 188, a França caiu para o quinto lugar.

O Reino Unido, que abandonou todas as restrições restantes relacionadas ao Covid-19 no mês passado, subiu um lugar para o número cinco, ao lado da França, bem como da Irlanda e de Portugal, com uma pontuação de 117.

Os Estados Unidos permanecem na sexta posição, com 186 pontos, dividindo a posição com Bélgica, Nova Zelândia, Noruega e Suíça.

Não há mudança no número sete, com Austrália, Canadá, República Tcheca, Grécia e Malta ficando juntos novamente, com uma pontuação de 185.

Em oitavo lugar, a Hungria fica sozinha, com 183 pontos, enquanto a Polônia caiu de oito para nono na lista, dividindo o lugar com Lituânia e Eslováquia, com 182 pontos. Estônia, Letônia e Eslovênia completam os dez primeiros , com uma pontuação de 181.

Temores de deslocamento das mudanças climáticas

O relatório observa que a situação Rússia-Ucrânia provou ser um lembrete severo da volatilidade do mundo, da maneira como a violência e o conflito podem levar ao deslocamento em massa e exatamente quanto impacto o passaporte pode ter em sua posição.

“À medida que o valor do passaporte russo diminui rapidamente e o mundo abre suas portas para os ucranianos, fica bastante claro que o passaporte que você possui determina seu destino e afeta drasticamente as oportunidades que você tem”, escreveu Christian H. Kaelin, presidente da Henley & Parceiros e criador do conceito de índice de passaporte.

“Embora seja impossível prever como será o mundo à sombra de uma nova Guerra Fria, o último índice sugere que a divisão entre a Rússia e grande parte do mundo ocidental só aumentará.”

No entanto, os resultados também sugerem que os efeitos das mudanças climáticas provarão ser a força motriz para o deslocamento nos próximos 25 anos, particularmente em países menos desenvolvidos economicamente.

O professor Dr. Khalid Koser, diretor executivo do Global Community Engagement and Resilience Fund (GCERF) e membro do conselho de administração da Fundação Andan na Suíça, que apoia os deslocados, aponta que o número de pessoas que morreram devido a inundações, secas e tempestades “em regiões muito vulneráveis, incluindo partes da África, Sul da Ásia e América Central e do Sul, aumentou em 15 vezes”, do que no resto do mundo.

Especialistas também indicam que provavelmente veremos um crescimento substancial nas viagens internacionais, que foram extremamente impactadas pela pandemia de Covid-19.

As previsões sugerem que haverá demanda por 10 bilhões de viagens de passageiros até 2050, um aumento considerável em relação aos cerca de quatro bilhões pré-pandemia.

Esse crescimento provavelmente virá “de passageiros que nunca tiveram a oportunidade de voar antes: na Ásia, África e América Latina”, de acordo com Sebastian Mikosz, vice-presidente de meio ambiente e sustentabilidade da IATA.

“Devemos a esta próxima geração de passageiros encontrar soluções sustentáveis, para que possam desfrutar e se beneficiar das viagens aéreas como fizemos até agora”, acrescenta Mikosz.

Os melhores passaportes para manter em 2022 são:

1. Japão, Cingapura (192 destinos)
2. Alemanha, Coreia do Sul (190)
3. Finlândia, Itália, Luxemburgo, Espanha (189)
4. Áustria, Dinamarca, Holanda, Suécia (188)
5. França, Irlanda, Portugal, Reino Unido (187)
6. Bélgica, Nova Zelândia, Noruega, Suíça, Estados Unidos (186)
7. Austrália, Canadá, República Tcheca, Grécia, Malta (185)
8. Hungria (183)
9. Lituânia, Polônia, Eslováquia (182)
10. Estônia, Letônia, Eslovênia (181)

Os piores passaportes

Vários países ao redor do mundo têm acesso sem visto ou visto na chegada a menos de 40 países. Esses incluem:

105. Coreia do Norte (39 destinos)
106. Nepal e territórios palestinos (37)
107. Somália (34)
108. Iêmen (33)
109. Paquistão (31)
110. Síria (29)
111. Iraque (28)
112. Afeganistão (26)

FONTE: https://viagemegastronomia.cnnbrasil.com.br/curiosidades/lista-de-passaportes-mais-poderosa-do-mundo-e-impactada-pela-guerra-na-ucrania/