Shadow

Carreira

O brasileiro que virou referência em antropologia da informática nos EUA para ter impacto maior no Brasil

O brasileiro que virou referência em antropologia da informática nos EUA para ter impacto maior no Brasil

Carreira
Na série 'Trabalhar no exterior', o Guia de Carreiras do G1 entrevista brasileiros que fizeram a graduação no país, mas hoje seguem carreira em outras partes do mundo. Conheça a história do capixaba David Nemer, professor da Universidade do Kentucky. Hoje com 33 anos, David Nemer é referência em antropologia da informática, que estuda como a tecnologia transforma comunidades. Autor do livro "Favela digital", ele já realizou projetos com Google, Microsoft e Intel, e viu sua pesquisa sobre internet em Cuba virar política pública neste mês. Mas, quando era apenas vestibulando no Espírito Santo, tinha mais dúvidas do que certezas em relação à carreira que queria seguir. Tanto é que acabou começando – e terminando – duas faculdades ao mesmo tempo. TESTE VOCACIONAL: com qual carreira
Trabalhar fora do país ‘não era o foco’, diz brasileira que fez carreira em 6 países e virou CEO no Chile

Trabalhar fora do país ‘não era o foco’, diz brasileira que fez carreira em 6 países e virou CEO no Chile

Carreira
Na série 'Trabalhar no exterior', o Guia de Carreiras do G1 entrevista brasileiros que fizeram a graduação no país, mas hoje seguem carreira pelo mundo. Conheça a história da administradora de empresas Patrícia Capel, que já morou em seis países de três continentes diferentes desde 2004. A administradora de empresas Patrícia Capel, de 46 anos, não pode dizer que trocou de emprego várias vezes, mas ela está há tanto tempo trabalhando na mesma empresa que já mudou de cargo – e país – em diversas ocasiões. Desde a graduação na FEA-USP até os cargos no exterior, Patrícia aprendeu a ponderar cada passo e o momento certo de investir na carreira e na formação. TESTE VOCACIONAL: com qual carreira você mais se identifica? (Patrícia é a segunda entrevistada na série "Trabalhar no exterior"
Saiba como conferir onde há menos fila antes de sair para tomar vacina contra Covid na cidade de SP

Saiba como conferir onde há menos fila antes de sair para tomar vacina contra Covid na cidade de SP

Carreira
´Filômetro´, página criada pela gestão municipal, indica qual a situação da espera nos postos de vacinação. Segundo secretário municipal da Saúde, informações devem ser atualizadas a cada duas horas. A Prefeitura de São Paulo lançou nesta terça-feira (15) o "De Olho Na Fila", uma página online que mostra a situação de espera nos postos de vacinação contra Covid-19 que estão em funcionamento na capital. Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, o "Filômetro" (veja como funciona abaixo) é um recurso complementar ao sistema de escalonamento que começou a ser adotado nesta segunda-feira (14), com a vacinação de pessoas de 58 e 59 anos, e deverá permanecer até o dia 15 de setembro, quando está previsto o fim da aplicação de primeira dose 
Brasileiro é contratado pelo Spotify na Suécia após simular entrevista de emprego com colegas

Brasileiro é contratado pelo Spotify na Suécia após simular entrevista de emprego com colegas

Carreira
Na série 'Trabalhar no exterior', o Guia de Carreiras do G1 entrevista brasileiros que fizeram a graduação no país, mas hoje seguem carreira em outras partes do mundo. Conheça a história do paraibano David Lino, desenvolvedor do Spotify na Suécia. O desenvolvedor David Lino de Sousa preenchia todos os requisitos exigidos pelo Spotify quando recebeu uma oferta de emprego para trabalhar na sede da empresa, em Estocolmo, no fim de 2013. Além da graduação em ciência da computação pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), o paraibano também fez um mestrado focado na área de sistemas distribuídos, um ramo com demanda crescente no mercado. Tanto que, depois de recusar a oferta do Spotify em detrimento de outra, ele foi aceito novamente para a vaga do serviço de streaming de música,
Revolução digital deixa cinco profissões à beira da extinção, diz estudo

Revolução digital deixa cinco profissões à beira da extinção, diz estudo

Carreira
Instituto Sapiens baseou os dados em serviço de estudos estatísticos do ministério do Trabalho da França, que concluiu que empregos em bancos, cujo o número caiu 40% entre 1986 e 2016, poderiam desaparecer totalmente em 2050. Um estudo do Instituto Sapiens revelou que cinco profissões correm risco de extinção. Para alguns, esses dados são angustiantes. Para outros, fonte de inspiração. A revolução digital está transformando o mundo do trabalho e as mudanças parecem estar só começando. Mais de dois milhões de pessoas “têm uma forte probabilidade de ver seus empregos desaparecem nos próximos anos”, diz o estudo. Profissionais da área de contabilidade, caixas de lojas e supermercados, funcionários de bancos e seguradoras, secretárias e agentes de manutenção verão de perto as transforma
Gestão de pessoas: veja perfil dos cursos, o que faz e remuneração

Gestão de pessoas: veja perfil dos cursos, o que faz e remuneração

Carreira
Profissão assumiu uma função estratégica com o passar do tempo. Salários podem passar de R$ 40 mil em cargos de diretoria. O profissional que se forma em gestão de pessoas pode atuar em diferentes segmentos da área de recursos humanos: gestão, recrutamento e seleção de equipe, treinamento e desenvolvimento de funcionários e administração de benefícios e salários. “Antes, trabalhar no RH era algo completamente operacional. Hoje, a função é muito mais estratégica. O profissional passa a ser parceiro das áreas de negócio. É ele que vai selecionar todas as pessoas que trabalharão na empresa e, por isso, precisa estar alinhado com os objetivos dela”, explica Ana Stella Bonciani, coordenadora da área de gestão de pessoas do Senac São Paulo. O setor de recursos humanos é, port
Guia de carreiras: está em dúvida de qual profissão seguir? Veja opções

Guia de carreiras: está em dúvida de qual profissão seguir? Veja opções

Carreira
Especialistas de diversas áreas do mercado fazem raio-x das graduações mais procuradas. A hora de escolher uma carreira no fim do ensino médio é um desafio. Segundo o Censo da Educação Superior, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Estatísticas Anísio Teixeira (Inep), entre 2007 e 2017, a matrícula na educação superior aumentou 56,4%. Teste vocacional online, grátis e rápido ajuda na escolha da carreira Atualmente, são cerca de 324 carreiras de nível superior oferecidas no Brasil. Para ajudar na hora de escolher qual carreira seguir, o G1 preparou uma série de reportagens sobre algumas das áreas mais procuradas: AdministraçãoAnálise de sistemasCiências biológicasCiências contábeisDesign de gamesDireitoEducação físicaEngenharia civilGestão de pesso
Como as pessoas mais ocupadas conseguem se manter produtivas no trabalho

Como as pessoas mais ocupadas conseguem se manter produtivas no trabalho

Carreira
Para alguns indivíduos, encontrar um tempo para trabalhar sem interrupções pode parecer algo totalmente irreal — mas há métodos para otimizar nosso dia a dia. Assim como muitos pais, quando as escolas fecharam devido à pandemia da Covid-19, Elizabeth Hunter se viu com mais responsabilidades na criação dos três filhos, que passaram a ter aulas 100% remotas. Mas seu volume de trabalho também aumentou. Como cofundadora da STEMTaught, fundação que oferece planos de estudo de ciências sob medida, a cientista que mora na Califórnia teve que descobrir como seu programa poderia permanecer ativo em um ambiente virtual, assim como trabalhar em diversos fusos horários com autores e editoras para lançar novas edições de material didático mais rápido. Conciliar essa carga de trabalho maior
Como trabalhar demais está nos matando (literalmente)

Como trabalhar demais está nos matando (literalmente)

Carreira
Pesquisa mostra que excesso de trabalho é uma crise global que mata centenas de milhares de pessoas todos os anos e requer atenção tanto por parte de funcionários, empresas e governos. Lisa Choi ignorou os primeiros sintomas. Afinal, esta analista de negócios de 53 anos era muito ativa, tinha bom condicionamento físico, costumava andar de bicicleta, era vegetariana e evitava comer porcaria. Estava longe de ser uma típica vítima de ataque cardíaco. No entanto, Choi, de Seattle, nos Estados Unidos, trabalhava 60 horas por semana, inclusive à noite e nos fins de semana. Tinha que cumprir prazos rígidos e gerenciar projetos digitais complexos. Essa carga de trabalho era completamente normal para ela. "Tenho um trabalho muito estressante... geralmente boto o pé no acelerador", diz.
Sororidade na pandemia de coronavírus: mulheres se unem para ajudar as que estão mais vulneráveis

Sororidade na pandemia de coronavírus: mulheres se unem para ajudar as que estão mais vulneráveis

Carreira
Mulheres se unem para arrecadar dinheiro, comprar cesta básica e gás e até para pagar as contas de casa uma das outras. 'Assim ninguém passa fome', A diarista Priscila Han Batista, de 38 anos, está sem trabalho desde a chegada da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Faltam leite e fraldas para duas de suas três filhas – a mais velha é adolescente. Comida, só arroz ("mistura não tem faz uma semana”). O marido está internado com Covid-19. As contas da casa em que a família mora, na Zona Leste de São Paulo, ficaram atrasadas. Mas, na segunda-feira (13), chegou uma ajuda inesperada: R$ 300 caíram na conta bancária da faxineira. O depósito foi feito pela artista Thais Ferreira, do Coletivo Massa, e pela designer Thaiz Leão, do Instituto Casa Mãe. As duras criaram o projeto Segura a
Open chat
Clique na seta para digitar a sua mensagem