Shadow

Imagens de câmeras de segurança, foram hackeadas: Divulgaram em sites pornôs

Segundo grupo de hackers, mais de 50 mil câmeras foram invadidas; problema passa por senha fraca no dispositivo

Usuários tiveram câmeras de segurança hackeadas e suas imagens íntimas vendidas na Internet, com gravações aparecendo inclusive em sites pornô. O grupo de hackers responsável pelo vazamento alega ter o controle de mais de 50 mil câmeras, e afirmou ainda ter compartilhado o conteúdo com cerca de 70 pessoas, que pagaram US$ 150 (cerca de R$ 848) para ter acesso vitalício às imagens. O caso, analisado pela empresa de segurança ESET, ocorreu na Cingapura, mas também há vítimas de países como Tailândia, Coreia do Sul e Canadá.

Os vídeos têm um total de 3 TB e variam entre um a vinte minutos de imagens mostrando pessoas de diferentes idades em momentos de intimidade ou nudez, incluindo mães amamentando e crianças, por exemplo. Segundo a ESET, o problema deve estar relacionado ao uso de senhas fracas na hora de instalar as câmeras, ou até mesmo a opção por manter os códigos padrão dos dispositivos.

Seis dicas para proteger sua câmera de segurança de invasões hackers

Imagens hackeadas a partir de câmeras de segurança foram vendidas na Internet — Foto: Pedro Vital/TechTudo

Imagens hackeadas a partir de câmeras de segurança foram vendidas na Internet — Foto: Pedro Vital/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Para atrair novos assinantes e provar que as imagens das vítimas são reais, os criminosos divulgaram um pacote gratuito com 700 MB de tamanho, contendo cerca de 4 mil vídeos. O grupo tem mais de mil membros e parece estar disposto a ensinar as técnicas utilizadas para invadir câmeras, copiar e salvar o conteúdo.

A falha foi descoberta pela empresa de segurança digital, e os modelos não seriam de fato vulneráveis aos ataques. Ainda assim, o acesso aos equipamentos costuma ser mais fácil quando os dados são compartilhados em servidores, já que hackers podem invadir o endereço de IP dos dispositivos e encontrar as gravações.

Um caso semelhante ocorreu no fim de 2019. Na ocasião, a plataforma Wyze admitiu que dados de 2,4 milhões de consumidores ficaram expostos por 11 meses.Saiba maisFalha em sistema de câmera de segurança vaza dados de 2,4 milhões de usuários

Article Photo

Você sabe criar senhas fortes? Descubra se está protegido na Internet

Article Photo

Como se proteger

Algumas dicas importantes para se proteger dessas invasões são usar senhas fortes e únicas para cada dispositivo na rede. Um código mais forte e difícil de ser descoberto deve alternar entre letras, números e caracteres especiais. Trocar as senhas padrão de todos os acessórios também é importante, já que elas são as mais usadas em ataques. É importante ainda proteger sua rede Wi-Fi para evitar acessos indesejados.

Outras dicas de segurança incluem atualizar o firmware de dispositivos e habilitar a proteção em duas etapas sempre que possível. Também é recomendado contar com um aplicativo de segurança especializado para monitorar a rede e identificar eventos estranhos.

Via The New Paper

fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2020/10/imagens-de-cameras-de-seguranca-hackeadas-vao-parar-em-sites-porno.ghtml

Open chat
Clique na seta para digitar a sua mensagem