Shadow

Como aplicar a espiritualidade no trabalho?

O trabalho é uma ponte entre o seu mundo interior e o mundo exterior. Se o seu ofício ou ambiente corporativo apresenta injustiças, desordem, ou ausência de um propósito, talvez ele esteja carente de espiritualidade.

Se um educador, astrônomo, ou pintor clássico lesse o título deste artigo, acharia completamente redundante e indagaria: como é possível um trabalho sem espiritualidade? Existe algum trabalho que não cultiva vida interior? Vale ressaltar que viver espiritualmente não é apenas viver religiosamente, é, principalmente, viver virtuosamente. Virtude vem do latim virtus e representa a inclinação do homem para praticar o bem. As práticas religiosas (não desvirtuadas, é claro) permitem o exercício de qualidades morais, mas não são a única forma de exerce-las. Um artista pode inspirar a paz e harmonia através de uma tela de pintura? Sim, logo, a arte também é um caminho para desenvolver virtudes e viver espiritualmente. Um político pode servir a população com projetos de lei e fiscalização de obras públicas de saúde? Sim, então a política é mais uma maneira de exercer virtudes. Uma médica é capaz de curar um paciente com problemas cardíacos? Claro, sendo assim, a ciência é outro método para aplicar a espiritualidade. O que esses caminhos têm em comum? Todos eles podem ser praticados através do trabalho e vividos espiritualmente. Mas não qualquer trabalho, é necessário o exercício de um trabalho consciente.

O trabalho é uma ponte entre o mundo interior e o mundo exterior. Não é apenas uma maneira de exercer a vida espiritual, é a melhor maneira de aplicar a espiritualidade. O escritor, poeta, educador e filósofo argentino Jorge Ángel Livraga dizia que “trabalhar é orar com as mãos”. Para servir aos demais com o seu melhor é necessário o exercício de virtudes como a coragem, a compaixão e a prudência. Como você passa a maior parte do seu tempo trabalhando, a boa notícia é a possibilidade de viver espiritualmente boa parte da vida. Assim, evitará uma vida covarde, egoísta e imprudente. Sempre que acordar para trabalhar, poderá escolher entre agir com nobreza ou ruindade, atuar com temperança ou cólera, generosidade ou mesquinhez. Felizmente, tanto um faxineiro quanto um juiz federal são capazes de trabalhar espiritualmente, aplicando todas essas virtudes e muitas outras.

Três dicas podem ser uteis para averiguar se você aplica a espiritualidade no seu trabalho:

1. Atue na sua vocação. Vocação vem do latim vocatio e significa “ação de chamar”. É o chamado da natureza. Para que você foi chamado ao mundo? Claro que um trabalho não vocacionado também pode ser espiritual, desde que exista o exercício de virtudes como o comprometimento e a honra. A cantora Lia Sophia já foi frentista num posto de serviços para carros e, hoje, alegra a nossa alma com o carimbó e a música popular paraense. Muitos trabalhos não são iniciados pela vocação, mas não é por isso que deixam de ser honrados. Entretanto, se você reconhecer a sua vocação poderá gostar do que faz com o uso das suas emoções, querer o trabalho com as decisões da sua mente e dever trabalhar com a fluidez do espírito. Unir emoção, mente e espírito numa experiência profissional (ou voluntária) é uma dádiva, além de uma grande oportunidade de despertar todos os seus poderes latentes como a memória, a atenção e a concentração.

2. Não faça o possível, faça o seu melhor. Essa mentalidade exige protagonismo e auto responsabilidade. Uma coisa é chegar no atendimento de um banco querendo investir numa aplicação financeira e o Gerente dizer “vou fazer o possível por você…”, outra coisa seria “vou fazer o melhor por você! ”. Já imaginou o dentista no meio da extração de um siso olhar no relógio: “ 18 horas, já deu o meu horário e preciso ir! Amanhã você pode voltar com dor, sangrando. Às 9h abriremos para cirurgias. Agradeço a compreensão!”. O comprometimento do dentista com o paciente deve ser resolver o problema até o fim. Não é apenas um acordo profissional, é uma questão de honra. Mário Sérgio Cortella foi enfático quando disse: “faça o seu melhor com as condições que tem, enquanto constrói condições para fazer melhor ainda”. As condições externas ao trabalho nem sempre são favoráveis, mas o indivíduo que tem o compromisso moral com o próprio crescimento, assim como o dever de servir outras pessoas dá o melhor, independentemente das circunstâncias.

3. Influencie positivamente as pessoas ao seu redor. Uma pessoa irresponsável vê as cadeiras riscadas em sala de aula e faz mais um risco, pensando “fazer mais um risco, não vai fazer diferença…”. A pessoa protagonista busca o professor e a diretoria para dizer “vamos colocar mais lixeiras em sala de aula? Vamos fazer uns seminários para conscientizar a turma sobre a importância de manter um ambiente limpo e zelar pelo patrimônio? ”. Não interessa a raça, o peso, a condição econômica, a orientação sexual, ela vai lá e resolve ou influencia positivamente. Se não conseguir resolver sozinha, mobiliza e pede ajuda. O que muda é a atitude. No lugar de reclamar, contribua. Se você ver alguém com uma dúvida, que tal contribuir com o seu conhecimento ou orientação? O seu colega pode estar passando por um sofrimento e você pode dar atenção ou um abraço. Todos os lugares têm problemas, felizmente, porque você pode oferecer as soluções e evoluir.

A natureza nos lembra, eternamente, a necessidade de viver e trabalhar espiritualmente. Os dias e noites, o movimento dos planetas, solstícios e equinócios nos lembram de trabalhar com constância e ritmo. A necessidade de desapego e coragem se comprova na migração das aves que nidificam em Portugal durante o verão e, durante o inverno, deslocam-se para o norte da África com o objetivo de encontrar alimento e boas condições meteorológicas. Quando as plantas conseguem produzir o próprio alimento através da fotossíntese, elas aproveitam com muita eficiência os três ingredientes básicos: luz solar, água e gás carbônico. Ainda são tão abundantes que, durante a transformação da água e do gás carbônico em alimento, as árvores liberam oxigênio para os outros seres humanos e animais respirarem. Todos esses elementos poderosos da natureza existem fora e dentro de nós. Somos seres da natureza e existe um universo inexplorado dentro de nós que pode ser, gradativamente, reconhecido com o trabalho. Na medida em que você aplica e melhora fora, harmoniza também dentro.

Você trabalha no seu ritmo ideal? Qual o desafio que você precisa enfrentar para crescer? Existe algum conhecimento ou recurso que você precisa compartilhar para liderar melhor? Dentro de você estão as respostas para as principais questões que a natureza nos inspira a refletir. Como disse Benjamin Disraeli: “a vida é curta para ser pequena”. Que privilégio maior pode haver do que servir aos demais? O trabalho é uma das maravilhosas oportunidades de fazer a vida valer a pena. Cultive o autoconhecimento e novas experiências para viver de acordo com a sua natureza e evoluir espiritualmente.

fonte: https://administradores.com.br/artigos/como-aplicar-a-espiritualidade-no-trabalho

Open chat
Clique na seta para digitar a sua mensagem