Shadow

4 comportamentos que limitam a sua prosperidade

Parar de prosperar é uma das formas de parar de evoluir. Com sabedoria e boas decisões é possível prosperar até o fim da vida.

Você qual o maior risco que corre na vida? Não mudar. Não há evolução sem mudança. E quem não consegue mudar a si mesmo, não muda coisa alguma, tampouco o ambiente ao redor. Parar de prosperar é uma das formas de parar de evoluir. Com sabedoria e boas decisões é possível prosperar até o fim da vida. Possuir estratégias para o aumento constante dos rendimentos, adotar a disciplina de poupar e uma inteligência de investimentos são elementos básicos para o seu crescimento financeiro. Muitas pessoas estão cientes disso e poucas praticam. Entretanto, o papel deste artigo é apontar alguns erros que você pode cometer sem perceber, que limitam a sua prosperidade.

Vamos definir a prosperidade como a capacidade do indivíduo enriquecer com qualidade de vida. Não é apenas a construção de riqueza, como muitos pensam. Prosperar é crescer de maneira sustentável, com equilíbrio na vida e nas finanças. Você vai concordar comigo se eu lhe disser que não vale a pena ganhar muito dinheiro sofrendo com um câncer no estômago. Também não é interessante estar cheio de saúde e disposição, mas sem dinheiro para viver boas experiências. Reflita, honestamente, sobre as suas próprias atitudes e veja se você se identifica com algum comportamento citado a seguir:

1. Fazer investimentos de baixa liquidez. Liquidez é a capacidade do investimento se transformar em dinheiro. Casas, terrenos e outros imóveis nem sempre são bons negócios. Muitas pessoas juntam dinheiro por mais de 20 ou 30 anos, ou recebem uma indenização e investem em imóveis, acreditando que conseguirão revender com algum lucro, ou conseguir uma renda fixa através de um aluguel. Em outros casos, consideram um alívio sair do aluguel. A crise (que está durando bastante) nos mostrou o aumento do número de placas mencionando “aluga-se” e “vende-se”, assim como a diminuição do número de compras e alugueis nas capitais. São comuns os casais que investem cerca de R$ 400.000,00 num apartamento para morar ou desejam alugar por R$ 3.000,00 mensais, aproximadamente, pois sempre existiu muita demanda na época dos nossos avós. Atualmente, essa expectativa é ilusória em muitos casos. Até você conseguir um locatário, você vai pagar entre R$ 400,00 e R$ 1.000,00 de condomínio mais o IPTU durante meses e, quando conseguir alguém que o alugue, no lugar de aderir ao aluguel de R$ 3.000,00, ele vai lhe oferecer metade do valor para alugar. Se você não aceitar, ele conseguirá outro proprietário que o faça. Talvez o montante de capital que você tem acumulado seja muito mais rentável numa previdência privada, num CDB, ou LCA. Existem dezenas de fundos que rendem mais de 1% ao mês e mais de 14% ao ano. Dependendo do montante que você investir, alguns nem cobram imposto de renda no momento de sacar os rendimentos. Um montante de R$ 400.000,00 bem aplicados podem gerar mais de R$ 6.000,00 de rendimentos mensais com o risco zero. Com essa renda mensal adicional, você pode morar muito bem e ainda sobrará dinheiro para elevar o seu padrão de consumo ou de investimentos, sem contar com salário do seu trabalho. Aprenda mais sobre aplicações e fundos de investimentos em renda fixa para usufruir do seu capital com sabedoria.

2. Investir mais em ter e menos em ser. Pessoas mais conservadoras acreditam que quando conquistarem um bom emprego, uma boa casa e um bom carro serão felizes. É possível, mas será que elas já se responderam alguma vez: quantos países e culturas diferentes você conheceu? Você desenvolveu algum talento artístico? Trabalhou por alguma causa ou movimento importante? Quantas vidas você impactou positivamente com o seu trabalho? Você investiu no seu conhecimento a ponto de crescer continuamente na carreira ou na vida? Todos somos capazes de ter e ser tudo o que quisermos, mas precisamos eleger prioridades, pois todas as escolhas exigem investimento de tempo e dinheiro. Lugares podem lhe gerar experiências memoráveis. Culturas diferentes podem gerar impacto positivo nos seus valores e visão de mundo. Conhecimento pode transformar o seu mundo e a realidade das pessoas ao seu redor. Você pode priorizar as experiências que realmente serão capazes de agregar valor à sua vida.

3. Parar de aprender. É a forma mais eficaz de parar de evoluir. Imagine o caso do Joaquim que concluiu a Formação Técnica em Mecatrônica nos anos 80 e construiu a carreira numa empresa automobilística a partir dos 20 anos de idade. Com 30 anos ele foi promovido para Gerente de Operações. Aos 40 anos, tornou-se Diretor de Operações e conquistou uma renda mensal de R$ 14.000,00. Ele fez apenas alguns cursos técnicos obrigatórios pela empresa (dentro do horário de expediente para não chegar tarde em casa). Ele casou jovem, teve dois filhos e focou na construção do patrimônio familiar. A esposa largou o emprego quando teve o primeiro filho. Ele trocou de carro a cada 3 anos e comprou um belo apartamento para a família. Ele nunca fez uma previdência privada ou fundo de investimento, pois acreditou que a empresa era sólida, que nunca seria demitido e geraria uma boa aposentadoria. Sempre gastou tudo o que ganhou, pensando em dar o melhor para os filhos. Uma vida boa, certo? Errado. A crise chegou e ele foi demitido com 50 anos de idade, pois a demanda de carros novos diminuiu e a empresa precisou cortar gastos. Ele sempre trabalhou na indústria automobilística. E agora, qual será a profissão dele? Qual indústria do segmento automobilístico vai querer contratar um profissional de 50 anos com a pretensão salarial de R$ 14.000,00? Como ele vai pagar a faculdade dos filhos? Como ele vai manter o padrão de vida da família? Mesmo se a pretensão salarial fosse R$ 3.000,00, qual a empresa vai querer contratar uma pessoa bem mais velha que não entende de softwares e só sabe fazer operações industriais? Como ele vai pagar o Plano de Saúde da esposa e dos dois filhos? Pelo menos, ele recebeu uma indenização de R$ 350.000,00. E agora, o que fazer com esse dinheiro? Empreender? Ele só tem experiência na indústria automobilística. Aplicar para manter a renda? Agora está tarde demais, as corretoras oferecem no máximo R$ 4.500,00 de retorno mensal sob o investimento, é pouco para quem estava acostumado a ganhar R$ 14.000,00 mensais. A esposa está com pressão alta e crises de ansiedade, muito preocupada. A família perdeu o plano de saúde e todos os benefícios que o marido recebia da empresa. Só o plano de saúde (básico) do casal com mais de 50 anos será mais de R$ 1.200,00. Ele estará disposto a vender o patrimônio da família que construiu durante todos esses anos? Você conhece alguma história assim? É culpa da crise, certo? Não! A responsabilidade é dele, pois ele parou de aprender e evoluir, não investiu em nenhum curso diferenciado, leitura de livros, workshops, encontros de networking e negócios, não fez Coaching, não aprendeu sobre tecnologias, softwares ou informática. Ele estagnou e só aprendeu o que a empresa obrigou! Existem milhares de casos assim no Brasil. Investir em conhecimento deve ser a prioridade do ser humano para a vida inteira. Do contrário, poderá ficar ultrapassado e ninguém é insubstituível.

4. Gastar tudo ou mais do que ganha. O Joaquim, antigo Diretor de Operações do item anterior é interessante para esclarecer esse tópico. Já pensou se ele tivesse guardado 20% de tudo o que ele rendeu desde o primeiro salário, dos 20 até os 50 anos de idade? Aplicados com 1,3% ao mês e 14% ao ano? Ele teria um montante de capital aproximado de R$ 672.000,00. Ele recebeu mais R$ 350.000,00 da empresa quando foi demitido, lembra? Somando os dois ele teria R$ 1.022.000,00 acumulados. Numa previdência privada, por exemplo, esse montante aplicado geraria mais de R$ 14.500,00 mensais (vitalícios). Sem contar que o casal com mais 50 anos pode trabalhar com muita saúde e disposição no Marketing Multinível, por exemplo, com baixo risco e horários flexíveis, gerando ainda mais renda. Se não quiserem trabalhar, tudo bem. Podem viajar em cruzeiros todos os anos com essa renda vitalícia e se matricular no curso de Dança de Salão mais próximo, curtindo a melhor idade. No lugar disso, eles têm um apartamento grande que ninguém quer comprar e um carro que gera um custo fixo mensal de R$ 1.000,00, além de um monte de dívidas e doenças cardíacas de tanta preocupação. Reserve pelo menos 20% de todos os seus rendimentos e aplique corretamente. Mas nunca lhe sobra dinheiro, correto? Exatamente, o dinheiro nunca vai sobrar. Primeiro você deve reservar os 20% e adequar o estilo de vida com os 80%. Corte a TV a cabo, corte o excesso de restaurante, diminua a prestação carro, dê o seu jeito. Faça o que for necessário para priorizar a reserva financeira e investir, saindo de um modelo mental consumista e migrando para um modelo mental próspero.

Você pode escolher entre a escassez e a abundância. A escassez é mais fácil com escolhas cômodas, mais rápidas e confortáveis. A abundância exige a mentalidade e comportamento prósperos. Quem pensa de maneira próspera eleva o nível de perícia e conhecimento para aumentar os ganhos financeiros, faz escolhas inteligentes de consumo que geram recompensa e não desperdício, aprende continuamente sobre fundos de investimentos, negócios, bolsa de valores e seguros. A melhor maneira de se preparar para mudanças é mudar.

fonte: https://administradores.com.br/artigos/4-comportamentos-que-limitam-a-sua-prosperidade

Open chat
Clique na seta para digitar a sua mensagem